ADEUS ANO VELHO
 


Pe. José Felippe Netto



“Adeus ano velho, feliz ano novo. Que tudo se realize no ano que vai nascer”. É o que nos diz a letra da velha canção que ouvimos todo final de ano. Mas, se tudo deverá ser realizado “no ano que vai nascer” é porque não foi realizado no ano que se findou.
E por que não foi? O que deixou de ser realizado foi planejado, programado, ou foi improvisado? Se apesar de programado não foi realizado, qual o motivo? O que impediu? É preciso perguntar, avaliar. Por isso, início de ano é tempo de “balanço” na indústria e no comércio, a fim de se verificar se as empresas tiveram lucro ou prejuízo.
Também nós somos convidados a realizar um balanço de nossa vida, de nossas atividades, a fim de verificarmos se houve lucro ou prejuízo. Conseguimos realizar tudo a que nos propusemos? Em caso positivo, os objetivos foram alcançados? Em caso negativo, o que impediu? Quais foram as causas? O que foi bom deve continuar e o que não foi deve ser corrigido.
Como agimos para com nossos pais, irmãos, esposos, filhos, familiares , vizinhos e amigos? Fizemos algo por eles? Colocamo-nos à sua disposição? Preocupamo-nos em saber de suas necessidades e dificuldades? Soubemos dar um conselho a quem nos pediu? Estendemos as mãos a quem necessitou de nossos préstimos?
Como foi o nosso relacionamento com Deus? Em nossa escala de valores Ele está realmente acima de todas as coisas? Cuidamos de nossa vida espiritual, rezando diariamente, participando dos sacramentos e da vida da comunidade eclesial? Lembramo-nos de Deus diariamente ou apenas nos momentos de necessidade, de aperto? Para nós Deus é um amigo ou um ilustre desconhecido?
Como desempenhamos nossas funções profissionais? Como tratamos nossos colegas de trabalho ou de estudo? Quem é patrão, como tratou seus empregados? Quem é empregado, como tratou seu patrão? Quem é professor, como tratou seus alunos? Quem é aluno, como tratou seus professores? Quanta coisa devemos lembrar para nosso exame de consciência de início de ano! Será que nossa “lojinha” dará lucro ou prejuízo?
Início de ano é também tempo de ação de graças a Deus por tudo o que Ele nos concedeu no decorrer do ano que se findou. Acredito que não foi pouco o que recebemos dEle. Também é tempo de reconciliação, para iniciarmos o novo ano com a consciência leve. É tempo de dar e pedir perdão e reatar aquela amizade que havia sido interrompida, às vezes por coisas tão insignificantes.
Vale a pena reconciliar-se, reatar a amizade, deixar de lado certas coisinhas que só atrapalham em vez de ajudar. Garanto que se agirmos assim, Deus estará presente, com a sua graça, em nós, em nossos lares, em nossos ambientes de trabalho e estudo, enfim, em todos os lugares onde estivermos. Esforcemo-nos, portanto, para vivermos sempre em sua graça, a fim de que o saldo de nossa “lojinha” seja positivo. Feliz ano novo!