CORPUS CHRISTI

Pe. José Felippe Netto



A Igreja Católica, não podendo colocar em realce, durante a Semana Santa, a instituição da Santíssima Eucaristia, estabeleceu uma festa especial para celebrá-la. O início foi na paróquia de Liège, na Bélgica, quando uma piedosa mulher chamada Juliana de Mont Carnillon comentou com o seu pároco que faltava no Calendário Litúrgico, uma festa especial da Eucaristia. Contou-lhe uma visão que tivera: viu a Igreja na figura da lua, bela e suave. Uma grande sombra ofuscava-lhe em parte o seu resplendor.

Interpretação da visão: a lua era a Igreja Católica, com as festas que celebra durante o ano. A sombra era a falta de uma festa ao Santíssimo Sacramento no Calendário Litúrgico da Igreja.

Em 1230, o pároco, Monsenhor Tiago Pantaleão de Troyes, foi eleito papa, adotando o nome de Urbano IV. Foi ele quem instituiu para a Igreja Católica a festa de Corpus Christi, com o documento denominado “Transiturus”, publicado a 11 de agosto de 1264. E escolheu, para celebrar essa festa, a quinta-feira após a festa da Santíssima Trindade.

A morte de Urbano IV, dois meses após seu documento, no dia 2 de outubro de 1264, impediu que o seu decreto viesse a ser cumprido. Foi Clemente V, em 1314, portanto 50 anos após, que confirmou o documento de Urbano IV, com publicação por João XXII, em 1317. Este papa acrescentou à festa uma oitava e prescreveu de se levar a Eucaristia em procissão. No início a Eucaristia era levada dentro de um cálice e mais tarde foi colocada no ostensório. Hoje não é mais celebrada a oitava de Corpus Christi, abolida em 1955.

Portanto, no dia da festa do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, Jesus vivo, na Hóstia consagrada, sai pelas ruas de nossas cidades e os católicos manifestam publicamente sua fé na Eucaristia. São poucas as pessoas que entendem isto e que se ajoelham nas calçadas quando passa a Eucaristia. Esta é uma procissão que todos os católicos deveriam fazer questão de acompanhar.

Nessa festa, todos são convidados a adorar Cristo na Eucaristia. Este costume da adoração na Eucaristia, desenvolveu-se na Igreja a partir da Idade Média, do século XII ao século XVI, em toda a Europa. Hoje muitas paróquias adotaram o costume de expor o Santíssimo Sacramento para adoração do povo, geralmente às quintas-feiras, pois esse dia nos lembra a instituição da Eucaristia.

Sugestão: ler e refletir 1 Coríntios 11, 23-29.