Dia da Amazonia

 

O Dia da Amazônia é celebrado anualmente em 5 de setembro.

Esta data foi criada com o intuito de conscientizar as pessoas sobre a importância da maior floresta tropical do mundo e da sua biodiversidade para o planeta.

A data escolhida faz referência ao dia 5 de setembro de 1850, quando o Príncipe D. Pedro II decretou a criação da Província do Amazonas (atual Estado do Amazonas).


Não há muitos motivos para comemoração e sim para preocupação. A floresta amazônica atualmente está ameaçada pelos constantes desmatamentos ilegais, afetando diretamente a fauna e a flora da região, causando desequilíbrios e crises ambientais a nível global.


Dados Importantes sobre a Amazônia



Com uma área de aproximadamente 5,5 milhões de quilômetros apenas de floresta, a Amazônia está presente em 8 estados brasileiros: Acre, Amapá, Pará, Amazonas, Roraima, Rondônia, Tocantins e parte do Maranhão e Mato Grosso.

Na América do Sul, compreende os seguintes países: Suriname, Bolívia, Guiana, Guiana Francesa, Venezuela, Colômbia, Peru e Equador.

O clima na região amazônica é predominantemente equatorial/quente e úmido.

Outro recorde da Amazônia é a sua bacia hidrográfica. Com cerca de 7 milhões de quilômetros de extensão, os principais rios da região são: Amazonas (maior do mundo em extensão), Negro, Trobetas, Japurá, Madeira, Xingu, Tapajós, Purus e Juruá (todos afluentes do Rio Amazonas).

A Amazônia é o habitat de inúmeras espécies de seres vivos. Estima-se que existam cerca de 40 mil espécies de plantas, milhões de diferentes insetos e cerca de 400 mamíferos. Além disso, a Amazônia é uma grande fonte de matérias-primas utilizadas na medicina, na alimentação e em outras atividades comerciais.

Apesar de o Ministério do Meio Ambiente afirmar que nos últimos dez anos o desmatamento caiu, a Amazônia ainda tem vivido uma intensa destruição. São comuns os relatos de derrubada das árvores para extração de madeira, grandes áreas destruídas pela mineração e criação de hidrelétricas, além de grandes extensões devastadas para a criação de pastos e desenvolvimento da agricultura, como é o caso das plantações de soja.

A destruição da Amazônia afeta principalmente a biodiversidade. Com a perda de espécies, os seres humanos também são afetados, uma vez que, muitas vezes, os seres vivos que entram em extinção eram utilizados economicamente ou para o próprio consumo humano, principalmente pelas comunidades tradicionais.

Além da perda de biodiversidade, a destruição da Amazônia afeta o equilíbrio climático de todo o planeta, uma vez que altera as chuvas no nosso país e no restante da América Latina. Além disso, a devastação da Amazônia, que é um grande reservatório de carbono, também pode causar a liberação desse elemento para a atmosfera.

Para deter a destruição desse importante patrimônio natural, é fundamental o uso sustentável dos recursos e também o fim do desmatamento. Outro ponto importante é criar áreas de conservação e investir em fiscalização das terras para impedir que as leis sejam descumpridas.

Algumas organizações não governamentais atuam na Amazônia para evitar a sua destruição. Entre essas ONGs, podemos citar a WWF-Brasil (World Wildlife Fund) e o Greenpeace.

 

Texto e imagem colhido no Google