A VIDA VENCEU A MORTE



Pe. José Felippe Netto



Cristo ressuscitou! Está vivo! Não morre mais! Sua ressurreição é a maior prova de sua divindade. Nosso Deus é o Deus da Vida! A vida venceu a morte!

Os quatro evangelistas escreveram sobre a ressurreição de Cristo “depois do sábado, quando amanhecia o primeiro dia da semana” (domingo). Seguem-se as aparições do Ressuscitado aos Discípulos e a outras pessoas.

Pedro, em seu discurso (cf At 2,24) diz que “Deus o ressuscitou, rompendo os grilhões da morte, porque não era possível que ela o retivesse em seu poder”.

Paulo discorre sobre o assunto em várias de suas cartas. Tomemos a primeira aos Coríntios: “Ressurgiu ao terceiro dia, segundo as Escrituras”

( 15,4). “Deus, que ressuscitou o Senhor, também nos ressuscitará a nós pelo seu poder” ( 6,14). “Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?” ( 15,55).

A um grupo que não acreditava na ressurreição escreveu: “Se se prega que Jesus ressuscitou dentre os mortos, como dizem alguns de vós que não há ressurreição dos mortos? Se não há ressurreição dos mortos, nem Cristo ressuscitou. Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé” ( 15,12—14).

Portanto, para o cristão, a morte não é o fim, mas uma passagem (páscoa) para a eternidade. Vivemos a esperança de um dia alcançarmos aquele “lugar” que nos foi preparado pelo próprio Jesus. “Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se não fosse assim, eu vos teria dito, pois vou preparar-vos um lugar, e quando eu me for e vos tiver preparado um lugar, virei novamente e vos levarei comigo, a fim de que, onde eu estiver, estejais vós também”.

Que a sua ressurreição nos dê força para professarmos nossa fé e coragem para vivermos como pessoas ressuscitadas, já nesta vida.