CF 2007
"Vida e missão neste chão"



Na parte superior do Cartaz, a terra seca e rachada representa a realidade de algumas partes da Amazônia durante a estiagem e adverte que, sem o devido cuidado, toda a região pode ser destruída.
A abundante presença da água lembra que a Amazônia é uma importante reserva de água doce no planeta, além de transmitir uma sensação de transparência, força e vitalidade.
O elemento principal do Cartaz é a vitória-régia, conhecida pelos índios como "panela de espíritos". Considerada um dos símbolos da Amazônia, essa planta é forte e tem raízes profundas que tocam o leito do rio; ao mesmo tempo, é sensível, assim como o povo nativo da região, que sobrevive com muita garra, mas precisa do apoio fraterno de toda a sociedade brasileira.As três flores brancas e amarelas têm extrema relevância no Cartaz, uma vez que representam a Santíssima Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo. Essas flores lembram que a Amazônia é obra de Deus Criador e Providente entregue aos nossos cuidados.
A criança representa os índios e toda a comunidade da região, suas crenças, sonhos e esperanças. Seu olhar inocente e o sorriso sutil são um convite à superação das dificuldades e à construção de um futuro melhor para a Amazônia.
Ao mostrar o contraste entre a terra seca e a exuberância da água, o Cartaz chama a atenção para a devastação da Amazônia e o descaso com a vida. Representa a esperança de encontrar uma solução para os conflitos da região com base na solidariedade e no respeito às diferenças.

 


HINO DA CF 2007

~ 1. Seja o verde o sinal da espe­rança, 
na Amazônia, rincão da aliança,
:sem os males que gera a cobiça; 
com o Cristo que tudo re­nova,
haveremos de ver terra nova, 
nova terra onde reina a justiça!

Rios, lagos, florestas ,e povos, 
ben­dizei ao Senhor na canção, 
bendi­zei ao Senhor na canção,
é can­ção que constrói tempos novos.
Nossa vida e missão neste chão!
Nossa vida e missão neste chão!

2. Os apelos de Deus pela vida
vêm na voz de Jesus, que convida
ao convívio na diversidade.
Pelo po­bre que se há ,de acolher,
a Amazô­nia vai se converter



O Domingo
Semanário Litúrgico Catequético