CARTA DE UMA ADOLESCENTE

 


"Não se zangue Mamãe! Desculpe!
Desculpe porque eu preciso desabafar. Eu sei que você está sempre ocupada, que você se mata por nós. Ninguém sabe agradecer, mas nós lhe somos gratos.
Mamãe, não se zangue. Nós queremos é você e não seus serviços. ØQuem consegue conversar a sós com você?
Você sempre comigo. É vestido amassado, são as mãos, os cabelos
despenteados, os objetos esquecidos, o quarto desarrumado.
Sempre as mesmas reclamações .. .inúteis. Vem mais, as ouço: já sei tudo de cor ... Sabe o que está faltando nesta casa? (não se zangue).
ESTÁ FALTANDO É TEMPO PARA CONVERSAR.
Quando volto do colégio, morro de vontade de chegar perto de você e contar tudo: as coisas misteriosas que me disseram, meus namoros, meus sonhos do futuro.
Você está na cozinha, mexendo nas malditas panelas. Eu sei que a comida não pode queimar, mas você sabe que me queima a alma sua frase sempre fervendo de impaciência:
AGORA, NÃO. NÃO POSSO OUVIR NADA."DAQUI A POUCO". ESPERA; ESPERE.
Há anos que você me diz isso: "DAQUI A POUCO", nunca chega. E eu estou farta de esperar.
À noite, quando os pequenos ferram no sono, se eu pudesse ficar a sós com você, eu diria: do livro que me impressionou, dos segredos de minha amiga, até mesmo os meus pecados. TUDO, eu diria!
Você nunca se sentou à beira de minha cama para conversar. Ah! Se você soubesse a desordem que reina o meu coração!
Se eu pudesse um dia verificar que meus problemas interessam a você, eu me sentiria crescer. Eu seria boa! Eu me tornaria alguém.
Não se zangue minha mãezinha!
Mas F ALE COMIGO!


( O kantinho da Mapa  procura pelo autor )